Música: um bom exemplo de storytelling

Música: um bom exemplo de storytelling


Publicado em por em Storytelling 101

Johnson’s e Becel apostam em jeito inusitado de criar música para gerar empatia com seus clientes

Johnson’s e Becel apostam em jeito inusitado de criar música para gerar empatia com seus clientes

“Quando nasce um bebê nasce uma inspiração” é a principal temática que a DM9DDB usou ao criar a nova campanha da Johnson’s.

Com dados baseados em ultrassonografias a agência criou, com a ajuda do matemático Paulo Bedaque e do maestro Jarbas Agnelli, “A Sinfonia da Vida”.

Já a Becel, marca que sempre se preocupou com a saúde do coração dos seus clientes, explorou uma das mais belas emoções na vida de um casal: seu casamento.

E, em parceria com a agência Brandwood e Lucas Lima, criaram a campanha “Na Batida do Coração” monitorando os batimentos cardíacos das pessoas nessa data tão especial.

O que há de incrível em tudo isso? Empatia com a marca através de um bom storytelling.

Para uma mãe, seu filho é o seu universo.

Na campanha da Johnson’s a convidada a fazer parte da experiência até enaltece algo como “não tenho palavras para descrever. Tem uma orquestra tocando o meu filho!”. Na campanha da Becel fica um evidente “você precisa cuidar da sua saúde para viver estas fortes emoções”.

Fica aí um ótimo exemplo de criação de relacionamento entre marca e cliente. Contar histórias tão pessoais, tão íntimas, únicas, e ao mesmo tempo tão comuns, gera um diálogo singular entre as pessoas, os produtos e serviços de diversas marcas e empresas.

Claro, entendo que quando falamos de marcas grandes fica fácil unir mundos e fundos na criação de super campanhas. Mas mesmo pequenas empresas podem criar bons trabalhos de storytelling para gerar relacionamento com seus clientes.

Em um estúdio musical que eu ensaio com as minhas bandas e projetos, percebi que o local andava perdendo público. Passei a querer saber sobre as bandas, escrever sobre suas músicas (o que estava por trás das canções) e a fotografar seus ensaios.

Como resultado o faturamento mensal do estúdio cresceu entre 10% e 15% na semana.

Esse foi um simples exemplo de “contar histórias” com pequenas empresas para criar valor ao seu público.

E você pode fazer algo parecido. Seja criando um blog, fazendo parceria com pequenas produtoras de vídeos e criando pequenos filmes dos seus clientes mais fiéis, contando histórias sobre o porquê dos determinados produtos ou serviços e por aí vai.

Enfim, é uma ferramenta ilimitada.

Pesquise seu negócio e veja onde estão as histórias por trás de cada pessoa que entra pela sua porta.

Veja onde estão as histórias por trás de cada objeto e por cada serviço prestado. Com isso, sinta a fidelização dos seus clientes acontecer de uma forma ainda mais verdadeira.

Eu quero mais artigos como este!

Assine o Excited para receber nossos emails diários e não perca nossos artigos.

Faça seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *